Entenda o "pulo" do seu stop

Confira o vídeo que preparamos para te ajudar a entender o que ocorre e como se prevenir das oscilações que "pulam" seu STOP.

Observação: o "pulo" do stop é um termo utilizado para o evento mostrado no vídeo. É importante ressaltarmos que este acontecimento não se trata de uma falha operacional da plataforma, mas sim de um deslize rápido de preço que inviabiliza a execução da ordem devido ao spread de mercado.

Antes de entendermos melhor sobre o "pulo" do stop, precisamos entender o que seria o termo stop, para isso, preparamos um conteúdo detalhando sobre este termo, para acessar, clique aqui e confira.

A bolsa de valores é um ambiente de probabilidades, logo, não é possível prever de forma assegurada o movimento de determinado ativo ou instrumento de negociação.

Assim, mesmo quando todos os indicadores e estudos estejam a favor de um movimento de alta ou baixa em um papel, isso não é garantia de um trade bem-sucedido. Logo, é fundamental se proteger quando sua operação vai contra o que você planejou. É nesse cenário que entra o tipo de Ordem Stop.

O Stop, como o próprio nome diz, é uma “parada” para o prejuízo (loss) ou lucro (gain) em sua operação. Ou seja, é uma forma de você investir na bolsa sem deixar de lado a segurança.

Uma boa metodologia de Stop é essencial para mitigar riscos, estancar prejuízos e alcançar lucros consistentes na bolsa.

O que seria o "pulo" do stop?

Precisamos entender que a ordem stop (gain ou loss), aparecerá no livro de ofertas, quando o preço de disparo for atingido. O "pulo" do stop seria quando o investidor programa um stop e esse stop acaba não sendo acatado, por diversos fatores. Exemplo: Maria programou um stop loss em 100.000 pontos, o minicontrato estava sendo negociado à 100.050, porém, uma grande instituição enviou uma ordem de venda de diversos minicontratos e, com isso, o mercado foi de 100.050 pontos para 99.950 pontos, com isso, a ordem de Maria acabou "pulando" por não ter uma contraparte comprando em 100.000 pontos. 

Uma sugestão seria, programar um spread em suas ordens de stop, também conhecido como Stop Offset e em ordens de stop loss, programar um spread mais longo, para minimizar a perca da operação e também diminuir o risco do "pulo" do stop.

Precisamos ter clareza que o "pulo" de stop, independente da plataforma ou corretora, é o próprio investidor que deverá realizar o controle de risco e, ao configurar o stop loss e stop gain, colocar uma margem de segurança no spread, com o objetivo de minimizar a possibilidade do pulo do stop.

Para saber mais sobre spread e liquidez no book de ofertas, clique aqui.

Para saber mais sobre as ordens stop, clique aqui.

Você sabe o que é Gestão de Risco? Assista o vídeo que o Eduardo Garufi preparou para você:

Esse artigo foi útil?